Gestão estratégica de carreira e imagem: qual é a relação?

Publicado em 13/11/2017

O sucesso profissional nem sempre é construído sobre dedicação e competência técnica. Em 1865, Lewis Carroll trazia em "Alice no País das Maravilhas" um importante diálogo para refletirmos sobre essa questão. Na adaptação dos estúdios Walt Disney, ele ocorre da seguinte forma:

Alice: "...mas eu só queria saber que caminho tomar!"
Gato: "Oh, isso depende do lugar! Aonde quer ir?"
Alice: "Realmente não importa, desde que eu..."
Gato: "Então não importa que caminho tomar!"

Resumidamente, para quem não sabe aonde quer ir, qualquer caminho serve. E "qualquer caminho" é um ingrediente certeiro para frustrações profissionais. Por isso, a colunista Marienne Coutinho afirma que é necessário gerenciar sua carreira de maneira estratégica. Mas como isso funcionaria e como a imagem poderia ser uma ferramenta neste processo? É o que vamos mostrar a seguir!


Como funciona a gestão estratégica de carreira?

Tudo começa quando você sabe aonde quer chegar. A gestão estratégica de carreira é elaborada sobre uma visão de longo prazo. Dessa forma, você entende onde está agora, observando se as suas ações do presente realmente podem conduzi-lo para esse futuro tão desejado. Isso envolve observar em que estágio estão seus estudos, se a empresa em que está pode ajuda-lo ou se são necessárias mudanças.

Após realizar um estudo criterioso, é hora de entender o que pode ser feito para alcançar seus objetivos. Definir metas de curto e médio prazo é de grande auxílio nesse processo.

Faça uma autoavaliação honesta sobre si. Peça também feedbacks aos seus colegas e mentores, e se possível, o auxílio de um terapeuta. Essa tomada de consciência é o que permite que não nos deixemos levar pelos acontecimentos. Aqui na Interno Estilo, ela também envolve um estudo atento sobre a sua imagem e o quanto ela se alinha com a sua essência e seus objetivos.

Se você compreendeu que está em uma empresa que pode ajudar no alcance de seus objetivos, é importante entender a cultura dela, o que também envolve compreender o dresscode (código de vestimenta) e como estabelecer um diálogo entre ele e seu guarda-roupa.

Quando combinamos o trabalho na imagem com habilidades de comunicação, além de afetarmos a percepção das outras pessoas, o comportamento delas em relação a você também é influenciado, conforme mostraremos a seguir.

Qual é a influência da imagem em sua carreira profissional?

"Vista-se para o trabalho que você deseja ter, não para o que você tem”, afirma um antigo bordão. Em uma perspectiva geral, a forma como nos vestimos não define quem somos ou o valor que temos como seres humanos. Porém, vale lembrar que somos julgados por nossa imagem todo o tempo. Portanto, é essencial que ela esteja alinhada com aquilo que somos, com nossos valores e desejos.

No ambiente corporativo, as roupas influenciam diretamente a forma como as pessoas o percebem e como elas se dirigem a você. Mas alguns estudos científicos demonstram que as roupas podem afetar as performances mental e física das pessoas.

Em 2015, um artigo publicado na Social Psychological and Personality Science narrou uma experiência realizada com pessoas divididas em dois grupos: as vestidas com trajes casuais e aquelas que usavam peças formais. Curiosamente, as que vestiam peças formais aumentou o desenvolvimento de pensamentos abstratos, uma habilidade importante para traçar estratégias de longo prazo.

Já um estudo publicado no Journal of Experimental Psychology em 2014 mostrou que homens trajados de terno obtiveram acordos mais lucrativos do que aqueles que se vestiam informalmente. Além disso, esse segundo grupo apresentava níveis de testosterona mais baixos, como relatado na revista Scientific American. Ou seja, as roupas não agem somente sobre a percepção que as outras pessoas têm sobre nós, mas também nas percepções que temos sobre nós mesmos.

Isso significa que basta sair por aí de terno e gravata para alcançar bons resultados? Não!

Em nosso trabalho, consideramos que o trabalho com a imagem envolve uma série de aspectos, incluindo um refinamento do que você deseja comunicar e como expressar essas mensagens da melhor maneira possível. Isso significa trabalhar com o que você tem de mais autêntico e estabelecer pontes entre essa essência e a sua carreira!

Assim, critérios objetivos, como performance e pontualidade, exercem uma influência parcial sobre a carreira. Na realidade, especialmente em cargos de liderança, uma série de atributos desejáveis são subjetivos. Daí a importância de entender como as pessoas o vêem, como é o seu relacionamento com seus colegas e o que é valorizado em sua empresa. A partir desses conhecimentos, você pode procurar ajuda profissional e se mobilizar para concretizar os seus projetos.

Gostou desse post? Ainda tem dúvidas? Entre em contato com a Interno Estilo em nossa seção de contato ou envie um e-mail para contato@internoestilo.com.br. Vamos adorar trocar ideias!