Compreender a contemporaneidade: é preciso cultivar um olhar atento e uma escuta refinada!

Publicado em 04/12/2017

Estamos inquietos. Como boa parte dos colegas que compõem a indústria da moda e a comunidade empreendedora de nossa país, frequentamos cursos, palestras, workshops e toda sorte de eventos que nos permita entender melhor pelo que estamos passando. O que tenho concluído, contudo, é que, por mais que apliquemos investimentos em cursos e livros caros, a compreensão dos desafios da contemporaneidade passa, primeiramente, por um olhar atento.

Giorgio Agamben é filósofo, professor da Universidade de Veneza e se mune da teoria da linguagem e da estética para entender a contemporaneidade. Seus textos mais famosos datam de 2006, 2007 e 2008, sendo que uma de suas declarações mais difundidas é a de que a contemporaneidade é uma "singular relação com o próprio tempo". Para esse pensador, para compreender a época em que vivemos, precisamos dar um passo além do presente.

É comum que as pessoas pensem que o contemporâneo é aquele que adere ao seu próprio tempo sem qualquer atrito, como as fashionistas que estão sempre em dia com as últimas tendências. Porém, para Agamben, citando Nietzsche, aqueles que não se adequam perfeitamente ao seu tempo ganham distanciamento para compreendê-lo melhor.

Esse olhar distanciado sobre o presente, contudo, jamais é alheio. Um contemporâneo não é aquele sujeito nostálgico, que está sempre desejando viver em outro tempo. Ele tem uma relação anacrônica com a época em que vive, distanciando-se o suficiente para ver seus aspectos bons e os mais sombrios.

Como pontua esta resenha da Revista Subjetiva:

"(...)para a astrofísica contemporânea o escuro que enxergamos ao observar o céu noturno nada mais é do que a luz que não pode nos alcançar, ainda que sua viagem em nossa direção seja incansável. Isso porque ela provém de galáxias que se distanciam de nós a uma velocidade superior à da luz. O presente é como essa luz. O presente nunca pode nos alcançar."

Para ter um olhar renovado, é preciso, portanto, estabelecer novas perspectivas sobre o passado e o presente, o que só pode ser alcançado com uma ruptura no agora. É preciso ser crítico, sem deixar a empatia de lado. Mas o que poderia incentivar esse gesto, na prática, especialmente no contexto do empreendedorismo?

Entender o contemporâneo para empreender com um olhar certeiro

Para nós, da Interno Estilo, um olhar aguçado só se desenvolve com uma curiosidade genuína. É preciso entender, empaticamente, o que ocorre nas mais diversas partes da cidade, no mundo das artes, da ciência, da gastronomia, da política e da economia. É necessário dialogar com os mais conceituados teóricos e com o que ocorre agora, nas ruas repletas de grafite. Não podemos nos limitar a relatórios de tendências, especialmente quando não entendemos as reais demandas do público e quais benefícios podemos oferecer diante dessas necessidades.

Quando enriquecemos o olhar e a escuta, paramos de replicar discursos que pouco têm a ver com a identidade da empresa e de nossos clientes, e buscamos valores que sejam genuínos. Aguçar os sentidos nos permite encontrar referências coerentes, bem como desenvolver um trabalho mais respeitoso com nossas propostas e com as intenções do público. Com esses ingredientes, seu empreendimento constrói uma base sólida para enfrentar os desafios do presente e as incertezas do futuro.

Esse trabalho se estende ao âmbito da imagem, tão importante em nossos tempos. Afinal, assim como os discursos infundados rapidamente são desmascarados com algumas buscas pelo Google, uma imagem incoerente também pode ser desconstruída e igualmente prejudicial. É preciso alinhar valores, discursos e referências, o que envolve não só ouvir os burburinhos do presente, mas também o que o passado tem a responder sobre o agora. Mas não se assuste: um estudo interno é o ingresso para essa verdadeira viagem no tempo!

Gostou de nosso artigo? Tem dúvidas sobre o nosso trabalho? Entre em contato através de nosso formulário ou pelo e-mail contato@internoestilo.com.br. Siga-nos também no Facebook e no Instagram!

Fotos: Freddy Marschall on Unsplash e Anthony Intraversato on Unsplash